quarta-feira, 1 de setembro de 2010

Fetiches por mãos


Mãos e virilidade

Sempre gostei de mãos de homem, admiro mãos com dedos longos, sempre que vejo começo a imaginar que caminhos de prazer esses dedos poderiam percorrer em meu corpo!

Ter o corpo acariciado por belas mãos masculinas me provoca um tesão indescritível, como as mãos dele!

Mas a melhor junção me parece ser um beijo cheio de desejo e mãos que seguram com força, que acariciam passando a mensagem de tomar posse, mensagem que diz: “Você é minha!”

Fundamental que elas sejam macias, bem cuidadas e experientes nos caminhos que devem percorrer para levar uma mulher ao céu.

A primeira lembrança que tenho dessa sensação das mãos dele foi quando ele inocentemente segurou a minha nuca, inocente e fortemente, hoje sei que estava passando uma mensagem que o meu corpo interiorizou e minha cabeça levou muito tempo para perceber.

Depois me lembro de uma situação de altíssimo erotismo, por quê? Porque tudo foi insinuado, velado, sem palavras e o ambiente era prá lá de inusitado, uma piscina numa bela manhã de sol com muita gente em volta.

Ele estava parado na borda da piscina e eu nadava, lógico que havia entre nós uma troca de olhares quentes, mais quentes que o sol daquela linda manhã (risos)

De repente ele mergulhou e nadou até o meio da piscina e ficou parado, aparentemente para todos que estivessem em volta não havia nada de mais nesse movimento dele, e eu mesma, deve ter sido por ingenuidade minha, eu também já fui ingênua, um dia a muito tempo. Bem passei nadando por ele e quando me aproximei senti que ele havia esticado a mão, mas o que ele fez em seguida foi altamente excitante, enquanto passava perto dele sua mão percorria o meu corpo, senti ir do meu colo as minhas pernas, a sensação da água, sua mão escorregando pelo meu corpo e eu deslizando por cima dela foi de um tesão inexplicável.

Tive que fazer muita força para manter o ritmo das braçadas e da respiração, foi uma fração de segundos, mas percebi ali promessas veladas que me aguardavam e só esperavam que eu dissesse sim, sim eu quero, quero me perder em suas mãos, quero que elas me toquem e explorem cada pedacinho do meu corpo e era como se ele estivesse dizendo; na hora que quiser estarei esperando para saciar a sua imensa vontade de ser possuída por mim e a minha imensa vontade de possuí-la, de deslizar as minhas mãos pelo seu corpo, de levá-la ao delírio de fazê-la implorar por mais…..

Quando cheguei ao outro lado da piscina, levei um tempo maior que o habitual para sair, mergulhei a cabeça algumas vezes, dando a impressão que estava só tentando ajeitar os cabelos, mas na verdade estava tentando me aclamar para poder sair e conversar normalmente com os outros que estavam em volta.

Olhei na direção dele e ele sorriu de uma forma sacana que eu adoro e assim como eu levou um bom tempo para sair também, imagino por que. Atravessou a piscina algumas vezes e quando finalmente saiu eu estava deitada de costas tomando sol, ele passou muito perto de mim deixando cair um pouco de água que escorria de seu corpo em minhas costas, lógico que estremeci, e não era só por causa do contato da água fria sobre meu corpo que estava quente, era de novo o erotismo envolvido no gesto dele!

Fiz o que seria o esperado por todos e reclamei com ele, novamente ele sorriu e esticou a mão para me ajudar a levantar, o almoço acabara de ser servido na beira da piscina, claro que nem me lembro o que havia para comer, mas lembro muito bem de suas mãos segurando as minhas com força e depois de suas mãos em volta da minha cintura, novamente senti a força com que me segurava e como delicadamente deixava que seus dedos me acariciassem usando para isso somente o movimento de nossos corpos ao andar. Enquanto nos dirigíamos aos outros para almoçar, não falamos sobre o que acabara de acontecer, riamos e conversávamos generalidades, para todos que estavam a nossa volta era só uma conversa animada entre dois amigos.

Todas as vezes que penso em suas mãos me lembro desse dia específico, porque hoje, olhando para trás acho que foi a partir desse dia que comecei a pensar seriamente na possibilidade de nos tornarmos amantes, de termos um caso passageiro ou duradouro, não sei na hora isso não tinha a menor importância, o que importava era que cada vez mais eu queria sentir aquelas mãos, aquela boca, e aquele corpo quente, viril, me possuindo e fazendo com que eu implorasse por mais e mais…

Cláudia Motta, Conto Erótico, contos eróticos, Contos Secretos, contos sensuais, Fetiches, mãos

3 comentários:

{ÍsisdoEgito}JZ - Tua, somente tua disse...

Querida Pétala,

que delicia de conto erótico esse que postou.

Linda, saudade de voce, nossa será que poderiamos nos ver ainda esse ano, no domina ou no luxuria, voce frequenta?
Ou marcavamos num barzinho por exemplo, para não perdermos contato....

Beijos carinhosos,

ÍsisdoJun

Pétala disse...

oh saudade

vamos sim marcar algo para martar essa saudades

flores mil

Anônimo disse...

olá Pétala, adorei sua post,incrível o jeito vc expõe esse desejo tao gostoso!
Compartilho desse belo fetiche por mãos masculinas e quando li me "animei".
Sinto esse fetiche desde nova, e me identifiquei com seu modo de se expressar, como se sentiu e como se sente, quando vejo ou pego, ou simplesmente imagino uma bela mão masculina.
bjo.