terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

Vem deixa-me sem ar


Cola tua boca na minha
E me morda sorve o meu ar...
Cala minhas palavras, morda a minha língua.
Pra não me deixar falar...
Corta minhas suplicas
Não me deixa te explicar

Assume o comando
num ataque faminto
Aperte meu pescoço
Deixa-me sem ar
Morde meus lábios
Ensaia me devorar
Pega firme em mim
Aniquila meus temores
Enquanto me faz salivar
Esquenta meu corpo
Leva-me a suar
Faz as gotas brotarem
Dos nossos corpos em ânsia

Em febre a delirar
Abre de uma vez
Entra em mim
Misturados de fato
Em pulsares frenético
Esperemos o desabar
Até o jorrar...
Até o arfar...
Até abundar...
E o recomeçar...

Cola tua boca na minha
E sorve o meu ar.
Faça-me tua cadela....
E deixa-se ficar
Onde você mergulha em mim.

Pétala_Vidär
Um bater de asas
com aroma de mel

3 comentários:

Simplesmente disse...

sem... mas podes respirar na minha boca...

dog pet disse...

gostosas palavras.

petbeijos...

Luis Nantes® disse...

Humm!! Marvada... Isso é tudo que eu queria, viu? Deixa-la sem ar e acabar com esse sofrimento gostoso do desejo que tenho, tá? beijos